Blog

Banner_ecossistemica-pratica

As crianças que aprendem de tudo

Cada vez mais o mundo exige dos adultos, conhecimentos e capacidades que ultrapassam a capacidade do ensino convencional. Confira o trabalho transdisciplinar da Escola Pireneus, em Pirenópolis, Goiás, que busca fornecer um melhor preparo para as crianças.

Em uma época que o Google já traz todas as informações, os professores precisam ir além do conteúdo para conquistar a atenção de seus alunos. Por isso, na Escola Pireneus, o protagonismo das crianças é incentivado. As curiosidades e informações que cada um traz de casa, integra-se ao cotidiano pedagógico da Escola, que também inclui atividades práticas.

“É um aprendizado significativo, onde em cada trimestre trabalhamos grandes temas com os alunos, que fornecem aulas normais em sala, mas também os levam à aplicação dos conhecimentos adquiridos, seja em uma apresentação ao público, seja no trabalho de uma horta, ou na fiscalização e compreensão dos processos da comunidade”, diz a coordenadora pedagógica da Pireneus, Darlane Pina.

Uma receita de um chá medicinal gera lições de matemática, história, gramática e biologia. Uma aula de geografia e história, leva os alunos a fiscalizar o lixão da cidade e os trabalhos realizados na área de habitação, pelo município. As tarefas viram um processo investigativo, que até incluem a participação dos pais.

Tudo é ampliado, através da metodologia empregada.

PEDAGOGIA ECOSSISTÊMICA

“O conhecimento não está só no livro, ele está em tudo”, explica a pedagoga Fátima Limaverde, criadora desta Pedagogia. “No passado, trabalhamos com livros fragmentados em nossa escola, mas as crianças não entendiam para que aprender aquilo tudo. Era estressante para os pais, professores e aos próprios alunos. Então passamos a pensar de forma transdisciplinar, onde tudo está conectado com o todo e a curiosidade é o que impulsiona a busca pelo conhecimento”.

Esta metodologia serve como guia a todo corpo docente. E como seria bom se mais pessoas a conhecessem!

Por isso, em julho de 2017, a Escola Pireneus, em parceria com a Escola Vila, de Fátima Limaverde, realizou no Ecocentro IPEC (Instituto de Permacultura e Ecovilas do Cerrado), a 1º Formação em Pedagogia Ecossistêmica, que contou com a participações de 60 profissionais da área de educação de diversos estados do Brasil, professoras das escolas públicas do município, bem como Professores das universidades estaduais e federais de Goiás. O evento foi divulgado também pela Secretaria de Educação de Pirenópolis.

A imersão durou 3 dias e teve o objetivo de aprimorar o conhecimento das professoras da Escola Pireneus, bem como fomentar um amplo debate sobre os rumos da educação na região de Pirenópolis, além de outros profissionais e acadêmicos da área.

Visite a Escola Pireneus e confira você mesmo esta qualidade inovadora! O lugar em si já é bastante diferente, com uma arquitetura vernacular, combinada com o reuso de materiais descartados pelo município (garrafas de vidro, restos de pedras, entre outros), espaços de plantio, laboratório de tecnologia e quadra esportiva.

“Estamos de portas sempre abertas, para tomar um café e conhecer nosso espaço, ou também para obter maiores informações sobre o trabalho”, convida a diretora da Escola Pireneus, Ludmila Bata.

Basta agendar antecipadamente, através do e-mail ou telefone.

SERVIÇO

Escola Pireneus
Rua R. Minas Gerais, 7, Vila Estrela Dalva, Pirenópolis (GO)
Horário de funcionamento: 07:00 – 13:00
Telefone: (62) 3331-3579

Banner_matriculas2018

Escola Pireneus está com matrículas abertas para 2018

Para a Educação Infantil, oferecemos um ensino inovador, conectado às tradições.

O material pedagógico seguido pela Escola Pireneus é o da Pedagogia Ecossistêmica, uma metodologia que incentiva o protagonismo da criança no aprendizado, mas também inclui a família nesse processo, seja ajudando na lição de casa, seja fornecendo dados sobre os antepassados e as culturas vigentes.

“O conhecimento está em tudo, não está só no livro”, afirma Fátima Limaverde, criadora da Pedagogia Ecossistêmica. Por isso, todo conhecimento é interconectado. Matemática, geografia, química, português, biologia, física, artes, tudo se mistura no mundo que a criança vive. Por isso, esta é uma educação significativa, promovendo uma troca de saberes entre os livros, as pessoas ao redor e os experimentos das crianças.

Veja no vídeo abaixo como foi a 1º Formação em Pedagogia Ecossistêmica, realizada pela Escola Pireneus, no Ecocentro IPEC (Instituto de Permacultura e Ecovilas do Cerrado).

Venha conhecer a nossa escola e compreender melhor a qualidade da Escola Pireneus! Agende um horário pelo telefone 3331-1579.

Banner_img-DESTACADA-POST-2

Estudantes querem debater com autoridades locais

O projeto Vigilantes do Planeta, proposta pelo método pedagógico da Escola Pireneus, proporciona um debate com o governo local.

O debate será realizado no dia 17 de outubro de 2017, no Cine Pireneus (R. Direita, 1-9 – Centro). Autoridades locais como representantes da Prefeitura, ONGs e IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente) foram convidados para o evento. As perguntas foram todas criadas pelos próprios alunos da Pireneus, sendo o que querem cobrar e saber das autoridades de Pirenópolis.

O evento é aberto ao público, com entrada gratuita.

 

Post_Vigilantes-1

PEDAGOGIA ECOSSISTÊMICA
A metodologia de ensino na qual se baseiam os trabalhos da Escola Pireneus é a Pedagogia Ecossistêmica. Criada há mais de 30 anos pela educadora Fátima Limaverde, o trabalho começou no quintal, para entreter as crianças da vizinhança no contra turno escolar. A ideia evoluiu para a criação da Escola Vila, onde foi elaborada a Pedagogia Ecossistêmica. A metodologia trabalha a construção do conhecimento, de forma coletiva, tendo o professor e a família como os guias dos alunos, numa viagem de aprendizados e descobertas.

Matemática, história, biologia, geografia, português, educação física se integram nos 6 projetos que são executados durante o ano letivo. A forma transdisciplinar de transmitir o conhecimento torna todo o processo pedagógico mais agradável e com mais sentido às crianças.

Em casa, as tarefas também ganham uma outra dimensão, onde a curiosidade e a integração dos pais no processo, tornam o conhecimento um jogo que desperta a curiosidade e a busca pelo conhecimento.

Por isso, este debate está inserido no currículo escolar dos alunos, como forma de se desenvolverem enquanto cidadãos atentos às políticas locais e ao que é possível fazer para uma sociedade mais justa e equilibrada. O projeto Vigilantes do Planeta busca exercer exatamente este sentido de atenção a tudo que está ao nosso redor, seja a fauna e a flora, ou o que acontece em nosso bairro, cidade e por aí vai!

 

SERVIÇO

Debate com Autoridades Locais de Pirenópolis
Onde: Cine Pireneus/ R. Direita, 1-9 – Centro
Informe-se na Escola sobre a data e horário do evento.

Banner_img-DESTACADA-POST-1

Curso reuniu educadores do Brasil em Pirenópolis

A Primeira Formação em Pedagogia Ecossistêmica, realizada no Ecocentro IPEC, reuniu educadores e professoras de Pirenópolis e de outras cidades do País. O evento foi realizado pela Escola Pireneus, em parceria com a Escola Vila e um precioso auxílio na divulgação pela Prefeitura do Município, bem como sua Secretaria de Educação. Na abertura, esteve presente a Secretária de Educação de Pirenenópolis, Tereza Caroline Lôbo.

Post_ECOSSISTEMICA-3

No evento, professoras, diretores de escolas e acadêmicos tiveram aulas com Fátima Limaverde, criadora da Pedagogia Ecossistêmica, a Doutora em Educação, Patrícia Limavere e Morena Limaverde, que desenvolve um trabalho de análise da relação dos professores com o material didático da metodologia. A educadora Luciana Guidoux e o arquiteto Tiago Ruprecht deram aula sobre o material Escola Sustentável, de Lucy Legan, bem como uma atividade prática com os participantes. Luciana esteve com Lucy em todo o processo de criação das oficinas propostas no livro, “Criando Habitats nas Escolas Sustentáveis”, bem como coordenou essas oficinas em instituições de Pirenópolis.

Além do conceito da bioconstrução, o reaproveitamento de resíduos urbanos também foi tema de aula com a diretora da Pireneus, Ludmila Bata e o permacultor Tomaz Ahau. O último dia todo foi ocupado com uma aula especial sobre escolas criativas, com a Professora da Universidade Federal de Goiás, Marilza Suanno e o Professor da Universidade Estadual de Goiás, João Henrique Suanno. O casal passou o dia apresentando projetos que mostram que a educação no Brasil não é um problema por ser pública ou privada, bem como há muitas instituições já desenvolvendo formas mais inovadoras de se relacionar com os alunos e serem mais efetivas nos processos pedagógicos.

Post_ECOSSISTEMICA-1 Post_ECOSSISTEMICA-2

Agora a torcida é repetir este produtivo evento em 2018, em busca de sempre evoluir a qualidade da educação em nosso País.

Confira abaixo um vídeo resumo desta experiência única!

Banner_princial_site4

Programação da Formação em Pedagogia Ecossistêmica

Confira uma prévia do que está programado para a 1 Formação em Pedagogia Ecossistêmica, que acontece de 23 a 27 de julho no Ecocentro IPEC (Pirenópolis, 250km de Brasília).

23/07 (domingo):

17 as 22 h: Acolhimento e chegada dos participantes
19 h: Jantar

24/07 (segunda-feira):

07 h: Café da manhã
08 h: Roda de Abertura

08:30 as 09h: Conhecendo o Ecocentro.
09 as 12 h: Base filosófica e existencial da Pedagogia Ecossistêmica (Fátima Limaverde/
Patrícia Limaverde)
10:30 as 11 h: Lanche
12 as 13:30 h: Almoço
14 as 16 h: A Pedagogia Ecossistêmica (Fátima Limaverde/ Patrícia Limaverde)
16 as 16:30 h: Lanche
16:30 as 18 h: A Pedagogia Ecossistêmica (Fátima Limaverde/ Patrícia Limaverde)
19 h: Jantar
20 as 21:30 h: Filme/Documentário de experiências de pedagogias transformadoras
(Ludmila/Tomaz)

25/07 (terça-feira):

 

07 h: Café da manhã
08 as 08:30 h: Relaxamento/alongamento
08:30 as 10 h: A sala de aula da Pedagogia Ecossistêmica (Fátima Limaverde/ Patrícia
Limaverde)
10 as 10:30 h: Lanche
10:30 as 12:00 h: O processo avaliativo da pedagogia ecossistêmica (Fátima Limaverde/
Patrícia Limaverde)
12 as 13:30 h: Almoço
13:30 as 14 h: Dia Internacional da Paz através da Cultura (Tomaz Ahau)
14 as 16 h: Oficina: A Prática dos Habitat's na Ecopedagogia (Luciana)
16 as 16:30 h: Lanche

16:30 as 18 h: Oficina: A Prática dos Habitat's na Ecopedagogia (Luciana)
19 h: Jantar
20 as 21:30 h: Escola Pireneus (Equipe Escola Pireneus)

26/07 (quarta-feira):

07 h: Café da manhã
08 as 08:30 h: Relaxamento/alongamento
08:30 as 10 h: Escolas criativas e práticas educativas transdisciplinares (Marilza Suanno –
UFG)
10 as 10:30 h: Lanche
10:30 as 12:00 h: Escolas criativas e práticas educativas transdisciplinares (Marilza Suanno
– UFG e João Henrique Suanno – UEG)
12 as 13:30 h: Almoço
14 as 16 h: Escola Sustentável (Tiago Rup)
16 as 16:30 h: Lanche
16:30 as 18 h: Biocapacitação nas Escolas (Tomaz Ahau)
19 h: Jantar
20 as 21:30 h: Evento

27/07 (quarta-feira):

07 as 08 h: Café da manhã

08 as 09h: Entrega de certificados/ roda de encerramento/ despedida

Maiores detalhes sobre o curso e inscrição, clique aqui!

Clique para conhecer o Ecocentro!

No vídeo abaixo apresentamos as origens da Pedagogia Ecossistêmica:

Entenda o significado de Pedagogia Ecossistêmica:

Se ainda sim ficou outra dúvida, estamos respondendo através do e-mail institutoecopireneus@escolapireneus.eco.br, ou mesmo através de nosso evento no Facebook, ou de nossa página.

1° Curso de Formação em Pedagogia Ecossistêmica

Inscreva-se no Curso de Formação em Pedagogia Ecossistêmica

A Pedagogia Ecossistêmica apresenta-se como uma grande solução aos tradicionais problemas da educação convencional.

Alunos inquietos, pais estressados, professores desmotivados. A equação não parece boa e há anos as escolas, as famílias e os profissionais da educação sofrem com isso. Desta forma, desde 1981, a idealizadora Fátima Limaverde começou um trabalho que buscou modificar esta combinação e hoje, mais de 30 anos depois, o trabalho rende frutos. A educação transformadora tem nome, e chama-se Pedagogia Ecossistêmica.

De 23 a 27 de julho de 2017, ocorrerá uma imersão que permitirá aos educadores vivenciarem e atuarem através desta metodologia. A partir de princípios de uma Educação Ecossistêmica e Transdisciplinar, teoria e prática são combinadas na construção do conhecimento e todos os conteúdos são trabalhados para estimular o desenvolvimento natural da criança, a partir de suas experiências.

Entenda melhor esta metodologia no vídeo abaixo, em que a criadora Fátima Limaverde explica a história e evolução deste conceito.

IMERSÃO NO LUGAR CERTO

Cúpula onde ocorrem as aulas teóricas no Ecocentro IPEC

Cúpula onde ocorrem as aulas teóricas no Ecocentro IPEC

O curso acontecerá no Ecocentro IPEC (Instituto de Permacultura e Ecovilas do Cerrado), que fica no município de Pirenópolis, Goiás. É de lá que surgiu a conhecida coleção de livros pedagógicos “Criando Habitats na Escola Sustentável”. Este material também será abordado durante o período do curso, com os representantes da instituição.

Mas a vivência no IPEC vai além disso. Este verdadeiro centro de referência em permacultura e bioconstrução, conta com ótimas opções de hospedagem, sendo elas em suítes, em quartos individuais ou compartilhados na Vila Ecouniversitária, ou mesmo no hostel da instituição. Enquanto as aulas acontecem dentro de uma grande cúpula feita com tijolo do próprio terreno, as refeições saudáveis provenientes de produtores da região, são servidas em um lindo refeitório, em total contato com a natureza.

Esta é definitivamente, uma ótima oportunidade para que educadores possam ter momentos agradáveis e produtivos.

Refeitório do Ecocentro IPEC. Foto de Gabriel Mestrochirico,

Refeitório do Ecocentro IPEC. Foto de Gabriel Mestrochirico,

PALESTRANTES

  • Fatima Limaverde
  • Patrícia Limaverde
  • Luciana Guidoux
  • Tomaz Ahau
  • Marilza Suanno
  • Tiago Rup
  • Ludmila Bata

 

SERVIÇO

1° Curso de Formação em Pedagogia Ecossistêmica

Local: Ecocentro IPEC, em Pirenópolis (GO)

Data: 23 a 27 de julho, 2017

Público-alvo: Amantes da educação, educadores, diretores de escolas, professores, pedagogos e profissionais da educação em geral, pais e responsáveis.

Inscreva-se agora:

institutoecopireneus@escolapireneus.eco.br

 

 

 

DETALHES DOS PALESTRANTES

Fátima Limaverde

Fátima Limaverde

Educadora e Ambientalista. Fundadora e Diretora da Escola Vila em Fortaleza, desde 1981. Faz parte da criação da Pedagogia Ecossistêmica: Educação Transdisciplinar da Escola Vila. Responsável pela concepção da Coleção Cuidando do Planeta Terra – Material Didático Transdisciplinar – Pedagogia de Projetos da Editora da Vila. Atua na Sumaúma – Assessoria e Consultoria em Educação Ltda, como facilitadora em formações para professores e assessoria. Coordenadora Geral da Unipaz no Ceará.

 

 

 

Palestrante_2Profa. Patrícia Limaverde: Bióloga, Mestre em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Doutora em Educação pela Universidade Católica de Brasília. Professora da Universidade Estadual do Ceará. Pesquisadora da Pedagogia Ecossistêmica. Coordena o Mestrado Profissional em Rede em Ensino de Biologia – ProfBio/Uece. Coordenadora do projeto de pesquisa Tecer – Transdisciplinaridade e Ecologia dos Saberes: Currículo, Educação e Resistência, da UECE. Membro do Grupo de pesquisa Ecologia dos Saberes, Transdisciplinaridade e Educação (Ecotransd – CNPq), colaborando na linha de pesquisa Currículo Ecossistêmico.

 

 

Luciana Guidoux: Foi sub-coordenadora do Programa Habitats, realizado em escolas públicas de Pirenópolis e que mais tarde virou as atividades propostas no livro “Habitats na Escola Sustentável”. Oceanógrafa, permacultora, já atuou em escolas e projetos de permacultura no México, Paraguai, Argentina, Chile e Brasil.

 

Palestrante_4Tomaz Ahau: Empresário, artista plástico, empreendedor social, permacultor pelo IPEC (Instituto de Permacultura e Ecovilas do Cerrado) desde 2002, e consultor em bioconstrução, agroecologia e design de ecovilas. Também é co-fundador dos espaços Jacutinga Centro Cultural, Casa dos Holons e Unapitinga Ecodesign Studio, além de fundador do Instituto 13 Luas, em São Paulo.

 

 

 

Palestrante_6Tiago Ruprecht: Arquiteto, Permacultor pelo IPEC desde 2001. Conta com mais de 10 anos de experiência na área de BioConstrução, Saneamento Ecológico, com ênfase em Permacultura e Sistemas Sustentáveis. Durante 7 anos no México (2005 a 2012) desenvolveu e implantou diversos projetos de bioconstruções, saneamento ecológico e permacultura de variadas abrangências (sociais, empresariais e principalmente educacionais). De volta ao Brasil, trouxe tecnologias, métodos e conceitos que absorveu durante este período no exterior. Atuou recentemente como servidor Celetista da Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz) no Projeto Observatório de Territórios Sustentáveis e Saudáveis da Bocaina onde é responsável técnico pelo projeto e implantação das obras de Saneamento Ecológico na Comunidade Caiçara da Praia do Sono, em Paraty, RJ. Ainda em Paraty, fundou a Urucum, empresa especializada em projetos de BioArquitetura e Licenciamento ambiental.

Palestrante_3Ludmila Bata: Educadora ambiental e a empresária, artista plástica pela Escola Panamericana de artes em São Paulo, permacultura pelo IPEC (Instituto de permacultura e Ecovilas do Cerrado). Como artista plástica, Ludmila desenvolve um trabalho de tecelagem de ferro-cimento com uma profundeza de detalhes e acabamentos. Especialista em formas orgânicas. Desenvolveu as principais estruturas do Jacutinga (centro cultural em São Paulo) espaço do qual é co-fundadora. No Ecocentro IPEC, faz parte do corpo de oficineiros na bio construção, com elementos de materiais reciclados. Atualmente reside em Pirenópolis Goiás, onde é proprietária e idealizadora da escola Pireneus, modelo em pedagogia ecossistêmica e educação transformadora.

 

 

Palestrante_5Raquel Lopes: Psicóloga e Pedagoga, trabalha na Escola Pireneus desde 2014 ocupando atualmente o cargo de diretora pedagógica. Atuou por mais de 10 anos como psicóloga organizacional e sete como docente em cursos de graduação e pós-graduação.

 

 

 

18767560_1281872928597686_6606461407699763505_nMarilza Vanessa Rosa Suanno: Professora da Universidade Federal de Goiás – UFG. Doutora em Educação pela Universidade Católica de Brasília (2015). Doutorado sanduíche realizado na Universidade de Barcelona (2011/2012). Mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (2006). Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Goiás (1994). Membro do Grupo de Pesquisa ECOTRANSD – Ecologia dos Saberes e Transdisciplinaridade (UCB) coordenado pela Dra. Maria Cândida Moraes. Membro da Rede Internacional de Ecologia dos Saberes: uma comunidade de conhecimento para uma nova consciência – RIES (Coord. UCB/Brasil e UB/Espanha). Membro da Rede Internacional de Escolas Criativas: construindo a escola do século XXI – RIEC (Coord. UB/Espanha e Unibave/Brasil). Membro do Grupo de Pesquisa em Rede Internacional Investigando Escolas Criativas e Inovadoras. Membro do Núcleo de Formação de Professores da Faculdade de Educação (UFG). Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Básica, Educação Superior, Didática, Formação de Professores, Estágio Supervisionado, Epistemologia da Complexidade, Transdisciplinaridade, Interdisciplinaridade, Escolas Criativas e Transformadoras. Currículo Lattes.

João Henrique Suanno: Pós-Doutor em Educação pela Universidade de Barcelona – UB/ES. Doutor em Educação pela Universidade Católica de Brasília – UCB/DF. Mestre Educação pela Universidad de La Habana/Cuba revalidado pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás – PUC/GO. Psicólogo – PUC/GO. Psicopedagogo – PUC/GO. Professor titular da Universidade Estadual de Goiás. Professor do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado Interdisciplinar em Educação, Linguagem e Tecnologias – MIELT/UEG. Membro da Rede Internacional de Escolas Criativas – RIEC/UB-ES e RIEC-Brasil. Membro do Grupo de Pesquisa Ecologia dos Saberes e Transdisciplinaridade – ECOTRANSD/CNPq, coordenado pela Profa. Dra. Maria Cândida Moraes. Membro e pesquisador colaborador no projeto Docência Transdisciplinar: a complexidade de uma prática a ser construída a partir de cenários e redes de aprendizagem integrada e ecoformadora – CNPq. Membro do Grupo de Pesquisa em Rede Internacional de Escolas Criativas UFT/TO. Investigador sobre Criatividade, Inovação, Escolas Criativas, Ecoformação, Transdisciplinaridade e outros. Currículo Lattes.

Clique para conferir a programação prevista!

Banner_pedagogia5

Tire suas dúvidas sobre o Curso de Pedagogia Ecossistêmica

De 23 a 27 de julho de 2017, ocorrerá uma imersão que permitirá aos educadores vivenciarem e atuarem através desta metodologia. O curso terá atividades práticas e teóricas. Separamos abaixo algumas informações adicionais sobre esta atividade, como os detalhes do que inclui em cada pacote, bem como quem é a equipe que estará contigo nessa experiência transformadora!

DETALHES DOS PACOTES:

No Pag-Seguro todos os pacotes podem ser parcelados em até 18 vezes.

Pacote 1, inclui refeições e diária de estadia na vila: R$ 960,00

A Vila Ecoversitária foi construída com a técnica de superadobe. São 15 quartos duplos (beliches) e cinco quartos com cama de casal, cercados de muito verde e pequenos lagos. Sanitários compostáveis coletivos estão localizados a curta distância, assim como chuveiros com aquecimento solar e acesso à cozinha comunitária da Vila. Este pacote inclui 5 diárias, hospedagem em quarto duplo na Vila Ecoversitária. com todas as atividades do curso materiais de apoio e alimentação completa servida pelos chefs regionais do Ecocentro IPEC!

Pacote 2, inclui refeições e diária no hostel: R$ 870,00

A Casa Mãe do Ecocentro, foi toda restaurada para oferecer hospedagem to tipo “dormitório”. São três quartos coletivos com camas beliche (5 pessoas em cada quarto). A localização do hostel é central a tudo que acontece no Ecocentro, ao lado dos sanitários e chuveiros solares, bem como da Cozinha Comunitária. Este pacote inclui 5 diárias, hospedagem em dormitório com todas as atividades do curso, materiais de apoio e alimentação completa servida pelos chefs regionais do Ecocentro IPEC!

Pacote 3, inclui refeições: R$ 530,00

Este pacote inclui todas as atividades do curso, materiais de apoio e alimentação completa servida pelos chefs regionais do Ecocentro IPEC! A estadia fica por sua conta.

Pacote 4, inclui refeições e camping: R$ 650,00

Para quem quer gastar o mínimo e não se importa de acampar nós disponibilizamos algumas áreas planas semi-protegidas do clima com uso dos serviços coletivos de sanitários e chuveiros. Antes de se definir por esta opção entre em contato conosco para determinar se existem tendas disponíveis ou traga a sua. É necessário trazer roupa de cama e/ou saco de dormir. Este pacote inclui todas as atividades do curso, materiais de apoio e alimentação completa servida pelos chefs regionais do Ecocentro IPEC!

Quer se inscrever agora? Clique aqui!

Imagem do quarto

Imagem do quarto

Pacote2

Hostel

SOBRE TRANSPORTE:

Em nenhum pacote está incluso transporte, mas inclusive incentivamos que troquem informações em nosso evento e organizem caronas. Esta é uma boa forma de se envolver mais com o grupo e manter o aprendizado, bem como a troca de experiências constantes nesta imersão. Clique aqui para ver nosso evento no Facebook.

IMPORTANTE:

1- Não há serviço de quarto, ou atendimento de hotelaria. A hospedagem é responsável, faz parte de uma vivência para um outro mundo possível. Na roda diária que ocorre pela manhã, todos podem expressar seus sentimentos, alertar algum problema, ou mesmo compartilhar alguma necessidade especial.

2- Não é permitido fumar em nenhuma área coberta do Ecocentro. Cada um é responsável por seus hábitos, e seus resíduos.

3- Existem áreas comuns destinadas ao convívio, consumo de alimentos, trabalho e lazer. As acomodações privativas são espaços de uso individual dos hóspedes.

4- Para inscrição, solicitamos a confirmação do pagamento, seja através de depósito, ou pagamento através do sistema Pag-seguro, que está disponível em nosso site. Quer voltar à página de inscrição e participar desta experiência? Clique aqui!

Se ainda sim ficou outra dúvida, estaremos respondendo através do e-mail institutoecopireneus@escolapireneus.eco.br, ou mesmo através de nosso evento no Facebook, ou de nossa página.

PALESTRANTES:

Profa. Fátima Limaverde: Educadora e Ambientalista. Fundadora e Diretora da Escola Vila em Fortaleza, desde 1981. Faz parte da criação da Pedagogia Ecossistêmica: Educação Transdisciplinar da Escola Vila. Responsável pela concepção da Coleção Cuidando do Planeta Terra – Material Didático Transdisciplinar – Pedagogia de Projetos da Editora da Vila. Atua na Sumaúma – Assessoria e Consultoria em Educação Ltda, como facilitadora em formações para professores e assessoria. Coordenadora Geral da Unipaz no Ceará.

Profa. Patrícia Limaverde: Bióloga, Mestre em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Doutora em Educação pela Universidade Católica de Brasília. Professora da Universidade Estadual do Ceará. Pesquisadora da Pedagogia Ecossistêmica. Coordena o Mestrado Profissional em Rede em Ensino de Biologia – ProfBio/Uece. Coordenadora do projeto de pesquisa Tecer – Transdisciplinaridade e Ecologia dos Saberes: Currículo, Educação e Resistência, da UECE. Membro do Grupo de pesquisa Ecologia dos Saberes, Transdisciplinaridade e Educação (Ecotransd – CNPq), colaborando na linha de pesquisa Currículo Ecossistêmico.

Luciana Guidoux: Foi sub-coordenadora do Programa Habitats, realizado em escolas públicas de Pirenópolis e que mais tarde virou as atividades propostas no livro “Habitats na Escola Sustentável”. Oceanógrafa, permacultora, já atuou em escolas e projetos de permacultura no México, Paraguai, Argentina, Chile e Brasil.

Tomaz Ahau: Empresário, artista plástico, empreendedor social, permacultor pelo IPEC (Instituto de Permacultura e Ecovilas do Cerrado) desde 2002, e consultor em bioconstrução, agroecologia e design de ecovilas. Também é co-fundador dos espaços Jacutinga Centro Cultural, Casa dos Holons e Unapitinga Ecodesign Studio, além de fundador do Instituto 13 Luas, em São Paulo.

Tiago Ruprecht: Arquiteto, Permacultor pelo IPEC desde 2001. Conta com mais de 10 anos de experiência na área de BioConstrução, Saneamento Ecológico, com ênfase em Permacultura e Sistemas Sustentáveis. Durante 7 anos no México (2005 a 2012) desenvolveu e implantou diversos projetos de bioconstruções, saneamento ecológico e permacultura de variadas abrangências (sociais, empresariais e principalmente educacionais). De volta ao Brasil, trouxe tecnologias, métodos e conceitos que absorveu durante este período no exterior. Atuou recentemente como servidor Celetista da Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz) no Projeto Observatório de Territórios Sustentáveis e Saudáveis da Bocaina onde é responsável técnico pelo projeto e implantação das obras de Saneamento Ecológico na Comunidade Caiçara da Praia do Sono, em Paraty, RJ. Ainda em Paraty, fundou a Urucum, empresa especializada em projetos de BioArquitetura e Licenciamento ambiental.

Ludmila Bata: Educadora ambiental e a empresária, artista plástica pela Escola Panamericana de artes em São Paulo, permacultura pelo IPEC (Instituto de permacultura e Ecovilas do Cerrado). Como artista plástica, Ludmila desenvolve um trabalho de tecelagem de ferro-cimento com uma profundeza de detalhes e acabamentos. Especialista em formas orgânicas. Desenvolveu as principais estruturas do Jacutinga (centro cultural em São Paulo) espaço do qual é co-fundadora. No Ecocentro IPEC, faz parte do corpo de oficineiros na bio construção, com elementos de materiais reciclados. Atualmente reside em Pirenópolis Goiás, onde é proprietária e idealizadora da escola Pireneus, modelo em pedagogia ecossistêmica e educação transformadora.

Raquel Lopes: Psicóloga e Pedagoga, trabalha na Escola Pireneus desde 2014 ocupando atualmente o cargo de diretora pedagógica. Atuou por mais de 10 anos como psicóloga organizacional e sete como docente em cursos de graduação e pós-graduação.